top of page
cicatrização da pele

Cicatrização da Pele

As feridas são lesões causadas por fatores extrínsecos (cortes, queimaduras, pressão...), cirurgia ou condições patológicas que comprometam a integridade da pele. A cicatrização de feridas é um processo complexo e dinâmico que inclui várias fases de reparação cutânea. O objetivo final destes fenómenos complexos é a formação de novo tecido com estrutura e função semelhantes às da pele íntegra.

O Processo de Cicatrização da Pele

A cicatrização de feridas é um processo dinâmico que consiste em três fases contínuas, que se sobrepõem, e que são rigorosamente programadas: a fase inflamatória, a fase proliferativa e a fase de remodelação.

A fase inflamatória é a primeira fase do processo de cicatrização e dura 24 a 48 horas. Nesta fase o corpo responde de forma a defender-se contra microrganismos e a combater possíveis infeções. A pele fica com um tom avermelhado e quente.

Durante a fase proliferativa inicia-se a produção de uma barreira permeável e de novos vasos sanguíneos e há uma reestruturação da integridade da derme (a camada intermédia da pele).

Na fase de remodelação as fibras de colagénio e elastina tornam-se mais densas, há deposição de ácido hialurónico e verifica-se uma maior vascularização. Nesta fase, a resistência e elasticidade da pele aumentam, no entanto, a área cicatrizada continua frágil até retomar totalmente o equilíbrio inicial. O que pode durar até dois anos.

cicatrização da pele, ferida joelhos

Há muitos fatores que podem afetar a cicatrização de feridas e que interferem com uma ou mais fases neste processo, causando, assim, uma reparação inadequada do tecido. Qualquer fator que cause interrupção, alteração, ou prolongamento do processo pode levar a uma cicatrização prolongada ou uma ferida crónica, sem capacidade de cicatrizar.

Tipos de Cicatrizes

As cicatrizes podem ter tamanhos e formatos muito diferentes. Isto acontece porque existem diversos fatores que condicionam o seu aparecimento, como a causa que as originou (acidente, acne, queimadura, cirurgia...), o tipo de ferida, a profundidade com que penetrou a pele, a zona do corpo e os cuidados que temos com as lesões.

Os nossos genes, a nossa idade e cor de pele, bem como os medicamentos que tomamos podem afetar o processo de cicatrização da pele.

Cicatrizes “Normais” ou Planas

 

As cicatrizes “normais” são tendencialmente planas (ainda que numa primeira fase sejam ligeiramente salientes) e de cor rosa a avermelhada. À medida que a pele regenera a cicatriz fica mais achatada e muda de cor. Com o tempo, as cicatrizes ficam quase da mesma cor da pele, mas também podem ficar mais claras ou mais escuras que a pele em seu redor.

Um cuidado adequado com a ferida pode aumentar a probabilidade de formar uma cicatriz plana ao invés de uma cicatriz atrófica.

Cicatrizes Atróficas

 

As cicatrizes atróficas têm um formato côncavo, isto é, estão mais fundas do que a superfície da pele dando à pele uma aparência “esburacada”. A maioria das cicatrizes atróficas formam-se no rosto e podem tornar-se mais visíveis à medida que envelhecemos. Isto acontece porque a pele perde elasticidade fazendo com que estas depressões se tornem mais percetíveis. Alguns exemplos de cicatrizes atróficas são as marcas deixadas pela varicela ou pela acne e as estrias.

Cicatrizes Hipertróficas

 

As cicatrizes hipertróficas têm um formato convexo, isto é, estão mais salientes do que a superfície da pele. Estas cicatrizes tendem a ficar mais planas, mas este processo pode levar meses ou anos. É mais provável que uma cicatriz hipertrófica se forme no peito, na parte superior das costas ou na área dos ombros, mas pode aparecer em qualquer parte do corpo. As cicatrizes hipertróficas podem provocar dor ou prurido e, se forem muito grandes, podem restringir movimentos.